Explicando melhor

escrito por Fabi Estiga nesta data  19. novembro 2014 23:19

Fui em tudo quanto foi lugar hoje, região central do Rio Grande do Sul. E uma coisa não me saiu da cabeça. A mudança de calendário. Cheguei a conclusão que talvez eu chegasse sem a mudança que ocorreu agora, de que ou vamos para as provas nacionais e deixamos o A&C de lado, ou vamos para o A&C e deixamos a prova anterior e posterior fora. Tudo não vai dar pra fazer.

As alterações apenas tornaram a conclusão da programação mais rápida.

Agora, esse post, é pra falar sobre o assunto comentado pelo Artur aqui. E gostaria de explicar o contexto do post todo, sem retirar um parágrafo apenas e analisar como se fosse esse o sentido dele. Não foi a minha intenção.

Quando comentei que o A&C 2015 teria um custo parecido com algumas edições anteriores, na gringa, quis dizer que os custos para competir estão a cada dia mais caros. Agora mesmo com o aumento da gasolina vamos gastar 10% a mais na viagem. Só de gasolina. Ou seja, de 600 para 660 reais. Parece pouco, mas no final das contas mesmo, não é. Isso para ir e voltar de SP. Sem contar outros deslocamentos, como por exemplo Sampa -> Cotia. São em dois dias 240km, com trãnsito quase meio tanque de combustível, ou, mais 70 reais.

Tudo está caro no Brasil. Passagem de avião é caro, viajar com cachorro é caro, aluguel de carro é caro, hotel é caro... E isso acaba deixando as viagens mais caras. É óbvio.

Fora do contexto parece que estou reclamando do custo do Américas e Caribe, quando na realidade estou falando que o calendário não ajuda muito. A CBA não tem culpa do preço da gasolina, nem da alimentação. Meno ainda a Comissão que organiza o Américas e Caribe, no entanto com tantas provas seguidas (entre o dia 24 de janeiro e 14 de março são menos de 60 dias e seis provas nacionais) é impossível se resguardar financeiramente.

Mas novamente, quero deixar claro que: para que eu possa evoluir, competindo contra os melhores, em campeonatos nacionais, eu perco dois dias úteis a cada viagem. E faço seis viagens por ano. São 12 dias perdidos de deslocamentos. Quero que cada um que lê esse post faça uma conta rápida do quanto cada um deixará de ganhar, ficando esses 12 dias parados.

Na verdade fazendo essa conta você chegará na seguinte conclusão: "fazer agility é inviável".

A realidade

No final das contas, ninguém vai deixar de participar porque é ou está caro. Agility é um esporte caro. Tem gente que gasta mais de 1000 reais em treino. Quem sou eu pra reclamar dos meus 700 de gasolina, não é? Ninguém vai deixar de competir porque eu (Fabiano) acabei deixando uma frase fora de contexto que acabou dando outro entendimento ao parágrafo. As pessoas não levam muito a minha opinião em conta. Se levassem pediriam mais ela. São mais de 15 mil visitas mês no AgilityESP e ninguém pergunta o que eu acho das coisas.

Talvez porque eu ache sem que ninguém pergunte.
Talvez por isso tenhamos tantas visitas.

Mas eu gostaria de ter mais a opinião de vocês. Sinceramente.



Tags:

Agility

Comentários

20/11/2014 00:36:25 #

Vívian Razel

O que é combinado, não sai caro nem barato. Calendário divulgado, lançamos mão de nossas programações, cruzamento de datas e tudo dá certo. Agora, mais uma vez o calendário é mudado. E não consigo compreender os motivos que foram justificados pela CBA. No mínimo é frustrante e desanimador. Não paramos porque o vírus do Agility está acima disso. Mas que desmotiva, desmotiva. Acho que assim o Agility não cresce.

Vívian Razel Brasil |

20/11/2014 09:52:01 #

Artur Pires

Vivy

Neste momento, não temos nenhuma fotocélula a trabalhar em pleno.A que o Marco, de Minas Gerais, está a desenvolver, apresentou alguns problemas, próprios de um protótipo, que parece estarem resolvidos mas terá de ser testada e a atual não tem mais conserto, pese embora toda uma onda de ajuda que levou a mesma ao SENAI para ser analisada.Ou seja de duas não temos nenhuma e o regulamento é claro que em provas que classifiquem para Camp do Mundo tem de ter fotocélula. Nas etapas do Brasileiro tivemos de fazer alguns competidores no cronometro manual e várias escolas foram contra.Imagina uma dupla garantir a sua vaga com 1 seg de diferença na base de uma cronometragem manual? Para além disso, não conseguimos local adequado para a realização das etapas.Falta de planejamento é certo, mas também falta de interesse em arranjar locais e organizar etapas, pois a Copa CBA foi oferecida a TODOS os estados a sua realização.
Iremos, a atual cúpula da CBA, trabalhar para que isso não volte a acontecer, mas neste momento não havia nenhuma hipótese de realizar estas etapas. bj

Artur Pires Brasil |

22/11/2014 09:28:07 #

Fe Lesnau

Eu só gostaria de saber uma coisa, por que ainda não foi comprada uma fotocélula de verdade? O pessoal vive viajando pros EUA, europa, a CBA não pode fazer este investimento e pedir para uma dessas pessoas do agility que viajam fazer esse favor de trazer para o Brasil?
Ou a fotocélula é tão absurdamente cara assim?

Fe Lesnau Brasil |

Fabi Estiga

Mais, nas redes sociais.




Agility Esporte - divertimento acima de tudo. Se você faz agility e não se diverte é porque está fazendo errado. Acima de qualquer coisa respeite seu cão, lembre-se que ele nunca erra, não tem culpa e não pediu para praticar o esporte. Assim o bem estar de ambas as partes é primordial sempre. "Praticar é preciso, divertir-se é necessário!"