As pessoas não tem educação

escrito por Fabi Estiga nesta data  20. outubro 2015 01:16

Entrava eu no mercado coisa de duas semanas atrás, um sábado, quando logo após pegar o carrinho de compras e começar a jornada a procura de produtos de qualidade, tomei uma carrada no calcanhar esquerdo. Virei para trás esperando achar uma criança, tamanha foi a força com que fui atingido. Era um adulto.

Prontamente me pediu desculpas e tudo bem. Eu falei "cara, eu esperava isso de uma criança, de um adulto eu espero um pouco mais de cuidado". E o mal motorista retrucou falando mais grosso "quer que eu faça o que? Já pedi desculpas!". Tentando finalizar a conversa, quase perdendo a razão disse "espero que tu escute e fique quieto, já que você cometeu o erro".

Comigo não tem dar a outra face. Sinto muito.

Sábado, passado, agora dia 17 novamente. Mesmo mercado, mesmo lugar. Eu não levo outra porrada, no mesmo calcanhar? Sim levo. Outro adulto. Me virei e disse logo após um PQP sussurado "como pode um adulto fazer algo assim? Não sabe andar no mercado?". Nem obtive resposta. Fui solenemente ignorado.

Deve ser carma, não dei a outra face, levei carrada no mesmo pé.

Torci nesse dia para encontrar o cara no corredor das frutas, pra tacar meu carrinho no calcanhar dele enquanto ele escolhia alguns tomates, e dizer assim "desculpe, está tudo bem? Machucou? Foi por querer, mas tá vendo? Eu sou mais educado que o senhor e mesmo que você esteja bem eu posso ajudar. Tenha um bom dia e boas compras". Por sorte eu não encontrei.

Eu sinceramente esperava mais dos meus atropeladores.

Fico imaginando o mesmo acontecendo com uma pessoa que tem dificuldades de locomoção. Que já tem um problema, ou numa criança. O cara dizer simples e puramente "desculpa" é da boca pra fora. É pseudoeducação. É como o motorista que bate atrás do teu carro, desce pra ver o que aconteceu e diz "não foi nada".

Quem decide se não foi nada é você!



Tags:

Lamentável

Comentários

21/10/2015 15:26:42 #

Vívian Razel

É carma, só pode ser!

Vívian Razel Brasil |

Fabi Estiga

Mais, nas redes sociais.




Agility Esporte - divertimento acima de tudo. Se você faz agility e não se diverte é porque está fazendo errado. Acima de qualquer coisa respeite seu cão, lembre-se que ele nunca erra, não tem culpa e não pediu para praticar o esporte. Assim o bem estar de ambas as partes é primordial sempre. "Praticar é preciso, divertir-se é necessário!"