Seria igual o resultado da Copa CBA com um ranking normal

escrito por Fabi Estiga nesta data  6. junho 2016 21:30

Leia "normal" como sendo um tradicional ranking de pontos combinados. Pista 1 + Pista 2 + posição no Combinado das duas. Se fosse dessa forma, qual seria o estrago junto ao selecionado brasileiro no Mundial 2016?

Um ranking mais abrangente gera mais condutores nas provas, gera mais visitação no site, gera mais receita para sustentar o esporte. A VII Copa CBA e seus pontos visando classificação para o Mundial distribuiu pontos para 40 duplas. Meu ranking, digo meu porque computei os pontos, teve 75% a mais de duplas pontuando. E os vencedores foram os mesmos!

Eu me dei ao trabalho, perdi umas duas horas, e entrei dentro da VII Copa CBA e posso dizer que: o resultado é igual, salvo alguns problemas do mini e midi devido ao número pequeno de duplas competindo. Algo que na verdade afeta o ranking de uma forma geral, independente do formato. Me parece que esse ranking baseado no tempo da melhor dupla seria mais eficaz se mais duos estivessem na disputa.

Diria que seis, talvez sete, tem reais condições de ganhar a vaga nesse tipo de disputa. Com o passar das etapas menos ainda, já que alguns já estavam classificados. No último final de semana, três disputavam.

Afinal ser rápido não é girar uma chave, engatar uma marcha e apertar um pedal. As duplas que levaram as vagas, simplesmente levaram, porque são rápidas, elas não estavam rápidas. O ranking obriga todos ao limite, porém o limite de alguns é muito inferior ao limite de outros. Sendo assim o ranking já começa com as vagas bem encaminhadas. Pra tornar imprevisível? Pois é, quantos cães? Uns 10 u 15 cães capazes de girar com 3 a 5 segundos de diferença seriam necessários?

Alguns vão dizer que não importa quantidade, o que importa é qualidade. Discordo totalmente. Quanto mais gente praticando mais saudável será o esporte.

Até entendo que seja preciso filtrar mais os competidores, que no mundial estarão representando o Brasil. E um regulamento que quase blinda a seleção contra cães lentos, ou duplas lentas, fez com que tenhamos esse ano, talvez, o selecionado mais rápido já visto, porém não entendo porque excluir a maioria das duplas, por uma minoria.

Velocidade, pura e simples, me parece que não é uma opção. "Dormi bem, to de boas, dia de sol, bom... hoje vou na velocidade".

Por esse motivo, e vejo que ano que vem será diferente, podemos ter um ranking para selecionar quem vai pro mundial e um ranking para os que apenas querem estar em pista.

Num passado bem recente foram excluídos rankings de iniciantes e G1 das competições nacionais. Ao mesmo tempo que o G3 passou a ter um nível insano. Com o número de duplas caindo acho que chegou a hora de olharmos para todos e ver que existem pessoas e cães, mas precisamos agrega-los e trazer para dentro do esporte, novamente.

E o ranking, depois vou publicar com maiores explicações.



Tags:

Agility

Fabi Estiga

Mais, nas redes sociais.




Agility Esporte - divertimento acima de tudo. Se você faz agility e não se diverte é porque está fazendo errado. Acima de qualquer coisa respeite seu cão, lembre-se que ele nunca erra, não tem culpa e não pediu para praticar o esporte. Assim o bem estar de ambas as partes é primordial sempre. "Praticar é preciso, divertir-se é necessário!"