CBA Cup - lembranças - regularidade acima de tudo

escrito por Fabi Estiga nesta data  2. outubro 2016 23:42

Quando foi criada, a Copa CBA deveria ser a solução para a obtenção de mais velocidade, por parte de condutores e duplas. Tentar mais o limite. Alguns diziam que era um ranking antitamaio. Tamaio foi um dos grandes condutores da primeira década de agility no Brasil.

Primeira Edição

Então, com uma pontuação diferente, poucas etapas e com um Ranking Unificado, se imaginava que seria uma boa solução. Não foi. O Brasileirão era um longo Campeonato, 14 etapas. A Copa CBA e seus três finais de semana, em três meses seguidos era a certeza de que começando mal, se terminaria mal.

Porém o que vimos foi uma dupla nova, Rodrigo com Panda, com zonas de contato rápidas e sem a pressão imposta até então por todos. Era uma grande vantagem no Agility. No Jumping, nem tanto. A primeira Copa CBA foi quase decidida numa pista do árbitro Mauro Zimenez, onde haviam duas bocas de túnel na subida da passarela.

Eu era novo no agility, mas logo vi que aquilo seria um show... de desclassificações. Posicionei minha câmera na subida e me botei a filmar.

A comemoração era tanta, pelos condutores dos cães que conseguiam colocar o cachorro na passarela, que simplesmente esqueciam de cobrar a zona da descida. Rodrigo não marcou pontos nessa etapa, mas marcou mais que Tamaio no dia anterior, prova onde o veterano foi muito mal.

2 on 2 off

Nos anos seguintes, das zonas do Panda, é que o esse tipo de contato, onde o cão fica com duas patas no obstáculo e duas fora, foi massivamente usado. Não demorou para que muitos conseguissem evoluir seus treinos e melhorar seus cães. Uma leva de novos dogs passaram a utilizar o recurso.

Segunda Edição

Se na primeira edição tivemos a vitória da velocidade diante da regularidade, na segunda o banho foi com pedrinhas de gelo, a água já havia passado do estado de simplesmente fria. Na quinta etapa o ranking Unificado tinha: José Luiz/Dino (132 pontos), Rodrigo/Panda (129 pontos) e Tamaio/Bilão (118 pontos).

Eram as mesmas duplas que disputaram o Brasileiro do ano anterior, que terminou com a vitória de Rodrigo com Panda. Outra vez, dois nacionais no mesmo ano, com Flávio Tamaio como vice campeão! Até então tudo bem, o BR era pra ser de regularidade mesmo.

Mas na Copa CBA, a última etapa reservou uma reviravolta que elevou o terceiro colocado ao título. O então "Jurassico" Flávio Tamaio, Hepta Campeão Brasileiro no Standard, vencia o título Unificado da Copa CBA. O último nacional dele. Dino foi vice. Panda, apenas terceiro.

Dali pra frente provou-se que "na prática a teoria é outra". E dali pra frente ficou acertado que pra vencer seria necessário ser regularmente rápido.



Tags: ,

Agility

Fabi Estiga

Mais, nas redes sociais.




Agility Esporte - divertimento acima de tudo. Se você faz agility e não se diverte é porque está fazendo errado. Acima de qualquer coisa respeite seu cão, lembre-se que ele nunca erra, não tem culpa e não pediu para praticar o esporte. Assim o bem estar de ambas as partes é primordial sempre. "Praticar é preciso, divertir-se é necessário!"