Vívian Razel

Começou dentro do agility por volta de 1999 em São Paulo, primeiro apenas acompanhando as provas de agility, frequentando treinos e aulas de adestramento. Alguns anos mais tarde surgiu a possibilidade de comprar seu primeiro Border Collie, em 2003. Elvis, cão que está hoje com 11 anos de idade.

Depois Vìvian treinou e conduziu durante muito tempo Tobby, um Golden Retriever da família, que foi multicampeão de agility no Qualquer Raça Menos Border Collie, acumulando quatro títulos nacionais e estaduais. Marcou uma época dentro do esporte.

Em 2009 foi ao pódio junto com um dos times Brasileiros no Américas e Caribe Open, conduzindo Elvis.

No Mundial 2011 foi reserva da Seleção Brasileira de Agility que esteve no Mundial da França. Vívian e Elvis estiveram no guia de duplas e receberam uma placa oferecida para todos os inscritos pela organização.

Nesse mesmo ano mudou-se para o Rio Grande do Sul, lá passou a treinar e conduzir a Guíça. Com ela passou para o grau 2 em poucas pistas (8 no total). Infelizmente ela veio a falecer precocemente em 2011, com apenas seis anos.

Na temporada 2013/2014 chegou ao título nacional com Elvis no XV Campeonato Brasileiro de Agility. Foi o primeiro da dupla em 10 anos. Também fez duas provas com Billy Bola, cão de Fabiano Estigarribia. Com ele passou para o grau 2 no menor tempo possível, três excelentes zerados em quatro pistas.

Atualmente treina uma Border Collie chamada Coca, que deve em breve começar sua carreira oficial dentro do Agility.

Vívian Razel

Começou dentro do agility por volta de 1999 em São Paulo, primeiro apenas acompanhando as provas de agility, frequentando treinos e aulas de adestramento. Alguns anos mais tarde surgiu a possibilidade de comprar seu primeiro Border Collie, em 2003. Elvis, cão que... leia mais

 


Últimos Comentários

Comment RSS


Agility Esporte - divertimento acima de tudo. Se você faz agility e não se diverte é porque está fazendo errado. Acima de qualquer coisa respeite seu cão, lembre-se que ele nunca erra, não tem culpa e não pediu para praticar o esporte. Assim o bem estar de ambas as partes é primordial sempre. "Praticar é preciso, divertir-se é necessário!"